quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Programação: Festival de Dança de Londrina

Captar, com sentido apurado, o espírito do nosso tempo e sonhar outras realidades possíveis. Com este propósito, o Festival de Dança de Londrina chega a sua 13ª edição, que começa nesta sexta (2) e segue até o dia 11 de outubro. A crise institucional no Brasil, a demagogia política e o retorno dos discursos totalitários aparecem como questões urgentes em um ano pós-eleições e em um contexto de ameaças veladas ou escancaradas à cultura e à educação. O Festival  2015 discute estes aspectos não só nas referências do seu cartaz, que estampa o embate violento entre a arte e o poder, mas também na curadoria, com espetáculos que registram, de diferentes modos, a fragilidade do nosso momento histórico. O Festival tem patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do PROMIC, e da Caixa Econômica Federal.
Ao longo de dez dias, serão seis oficinas e dezenove espetáculos locais e nacionais, vindos das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Um panorama da produção da dança brasileira na sua multiplicidade de estilos e na sua interface com outras linguagens, como o teatro, a performance art, o circo e a literatura.  Em mais uma edição, o Festival extravasa os palcos para ocupar também espaços públicos da cidade e provocar reflexões por meio da arte do movimento.
“Acreditamos muito neste poder mobilizador. O que acontece nos teatros, as intervenções artísticas nas ruas, tudo deve ter uma ressonância na nossa realidade para fazer sentido. Não poderíamos abordar outro tema em um ano em que presenciamos fatos incontornáveis como a agressão aos  professores a mando do Estado, episódios de censura, a redução drástica do orçamento da cultura, uma ameaça de extinção do MinC. Propomos uma participação reflexiva e ativa das pessoas”, destaca Danieli Pereira, coordenadora geral do Festival.
Programação - Muitas das atrações da grade propõem um diálogo inventivo com o público. Já no espetáculo de abertura, nesta sexta (2), a renomada Quasar Cia de Dança (Goiânia-GO) convoca os espectadores a saírem de suas poltronas e subirem o palco do Circo Funcart para fazerem, junto deles, o espetáculo “No Singular”. Um vídeo publicado nas redes sociais (no endereçohttp://youtu.be/HG44Jqi5caA), gravado pelo coreógrafo Henrique Rodovalho, ensina o passo-a-passo de um trecho coreográfico que será reproduzido pelo elenco e pelo público, juntos, na noite do dia 2. “No Singular” aborda, de forma irônica e bem-humorada, as relações humanas no contexto veloz da comunicação virtual. As plataformas digitais são novas praças públicas onde a singularidade se afirma por meio da aparência e da opinião rápida.
Outra apresentação que convida os espectadores à ação é a performance “Cegos”, do Desvio Coletivo (em parceria com o Laboratório de Práticas Performativas da USP). Vestidos como executivos e recobertos por quase 340 quilos de lama, 50 indivíduos petrificados, com vendas nos olhos, caminharão em coro pelas ruas, praças e espaços de poder da cidade no dia 5, segunda-feira. A intervenção urbana é composta por integrantes do grupo paulistano e por participantes locais, que realizam oficina com os codiretores Marcos Bulhões e Priscilla Toscano dentro da programação didática. Os trajetos e os lugares visitados pelos “Cegos” serão definidos conjuntamente durante o workshop.
Na mesma linha ideológica, o Festival de Dança traz a Londrina o palhaço Tico Bonito, de Cascavel (PR). Ele ficou conhecido nos últimos meses por ter sido preso de forma arbitrária por policiais do batalhão de Choque durante uma apresentação pública em que criticou os esquemas de segurança do Estado e o governador Beto Richa. Tico invade a Praça da Bandeira no sábado (3) com “Licença Preu Passar”. Após o espetáculo, haverá um “Café Público” sobre as influências do poder na arte urbana com o MARL (Movimento dos Artistas de Rua de Londrina). Tico fará um relato do caso e dos seus desdobramentos legais.
Outras montagens abordam a temática do protesto e da fragilidade humana de modo íntimo e poético. É o caso do Grupo de Dança 1º Ato (Belo Horizonte - MG), destaque na programação. A companhia mineira dirigida por Suely Machado, uma das mais antigas do Brasil, apresenta “InstHabilidade”. A coreografia é inspirada no metafórico ato de “cair e levantar”, condição inerente ao ser humano. Já a montagem “Olhar com Olhos Virgens”, da Federação da Dança (Salvador-BA), aposta na busca de uma inocência perdida e em sua permanência ao longo da vida contra a insensibilidade reinante. O espetáculo baiano, atração de sábado (3), tem direção artística de Jorge Vermelho e trilha gravada por Luis Melodia.
A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, grupo conhecido pelo histórico de resistências, participa da programação com “Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência”. O trabalho é uma “desmontagem” das principais personagens da atriz Tânia Farias em busca de resposta para questões de gênero e da violência contra a mulher. Trata-se, segundo ela, de uma espécie de ritual de evocação de seus mortos para compreensão dos desafios de fazer arte nos dias de hoje.
A irreverência e a alegria das danças brasileiras, ressignificadas por movimentos contemporâneos, encontram lugar em outras peças. A Cia SOMA, de São Paulo, formada por Marina Abib e Maria Eugênia Almeida, bailarinas próximas a Antônio Nóbrega, trazem a Londrina “A Última Estrada”, sobre um casal que trilha caminhos e não abandona nunca um destino: o desejo de conhecer o mar. Em “Sem Eira Nem Beira”, o Ballet de Londrina, companhia anfitriã do Festival, extrai a força da brasilidade a partir de um Nordeste mítico retratado pelo Movimento Armorial.
Mas as danças tradicionais de outras nacionalidades também têm espaço. A potência da cultura espanhola aparece mesclada ao charme da música popular brasileira em “Nosso Flamenco”, do Núcleo Artístico Confraria dos Ventos e Cia Soniquete Arte Flamenca (Campinas-SP), espetáculo com banda ao vivo que ocupa a Concha Acústica no entardecer de quinta-feira, dia 8. No dia seguinte, é a vez da Cia. Domínio Público habitar o Calçadão de Londrina e conviver com seus habitantes, descobrindo o movimento impregnado no cotidiano em “Posso Dançar Pra Você?”.
Metade da programação do Festival, aliás, será realizada gratuitamente em espaços públicos como a Concha Acústica, o Zerão, a Praça Marechal Floriano Peixoto e o palco às margens do Lago Igapó I, próximo à Funcart, onde acontece o encerramento desta edição com uma “Tarde de Clássicos” – linguagem que não poderia faltar. A convidada de honra é a Cia Brasileira de Ballet, de Ourinhos, que chega à cidade com um elenco de 22 bailarinos e se apresenta junto de talentos da Escola Municipal de Dança de Londrina. No programa, trechos de “Paquita”, “Diana e Acteon”, “Dom Quixote” e “O Lago dos Cisnes”.
Bilheteria – Em mais uma edição, o Festival mantém os valores de ingressos a preços populares – R$10 e R$ 5 (meia) - com o intuito de formar público e garantir o acesso ao maior número de espetáculos. Os bilhetes começam a ser vendidos nesta quarta-feira (30) em três pontos: Secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380); Loja Kinise (Boulevard Londrina Shopping – Loja 256 / 2º Piso) e Loja Shop Ballet (Rua Pio XII, 64 - loja 3). Como os espaços fechados são pequenos, a organização aconselha a compra antecipada de ingressos. Caso haja entradas restantes, elas serão vendidas nos locais das apresentações.
Mostra Local e Oficinas – Até o dia 1º de outubro, véspera da abertura, o Festival de Dança de Londrina recebe propostas de artistas locais para se apresentarem em sua tradicional mostra “Dança Londrina”, que acontece no dia 5. A mostra reunirá pequenos trabalhos cênicos e trechos coreográficos de até dez minutos produzidos por escolas, academias ou por bailarinos independentes da região.
Também estão abertas as inscrições para as oficinas desta edição.  A grade inclui seis cursos ligados a várias modalidades das artes cênicas:  “Dança Contemporânea”, com Harrison Gavlar (Quasar Cia de Dança – GO); “Balé Clássico”, com Vanderley Silva (Escola Municipal de Bailado de Ourinhos - SP); “Intervenção Urbana e Performance”, com Marcos Bulhões e Priscilla Toscano (Desvio Coletivo - SP); “Dança e Percussão Africana”, com Edu Baldan e Gabriella Souza (Grupo Abayomi – SC); “Criação do Gesto”, com Suely Machado (Grupo de Dança 1º Ato - MG) e “Composições Urbanas”, com Cia Domínio Público (SP).
Para se inscrever na mostra local e nas oficinas, basta acessar o sitewww.festivaldedancadelondrina.art.br e clicar nos links correspondentes. Lá estão disponíveis as regras e as fichas de inscrição para ambas atividades. A participação na mostra local é gratuita e o valor das oficinas é diferenciado (de R$ 10 a R$ 50, à exceção de “Composições Urbanas”, que é de graça). As vagas são limitadas e definidas por ordem de chegada. Informações pelo telefone (43) 3342-2362.
Ponto de Encontro – Durante os dez dias de programação intensa, o Bar Valentino será o ponto de encontro oficial do Festival de Dança de Londrina, com DJs e shows musicais como Beatles For Sale, Luke de Held & The Lucky Band e Dansalão.
                                                                                                                
Serviço:
13º Festival de Dança de Londrina
Espetáculos e oficinas
De 2 a 11 de outubro de 2015
Abertura de bilheteria: 30 de setembro
(Na Funcart, Loja Kinise e Loja Shop Ballet)
Ingressos: R$10 e R$5
Programação detalhada no site:
Informações: (43) 3342-2362

Programação Artística
* Abertura do Festival: No Singular – Quasar Cia da Dança (Goiânia-GO) – dia 2 (sexta-feira), Circo Funcart, 20h30
Licença Preu Passar – Circo e Teatro Éramos Três (Cascavel-PR). Realização também de um Café Público pelo Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL) – dia 3 (sábado), Praça Marechal Floriano Peixoto, 10h30, gratuito.
Olhar com Olhos Virgens – Federação da Dança (Salvador-BA) – dia 3 (sábado), Usina Cultural, 20h.
* Bernúncia – Cia Boa Voador (Londrina-PR) – dia 4 (domingo), Zerão (arena ao lado do Anfiteatro), 16h, gratuito.
Entre Dois Muros, Marchemos – Grupo Erastos BND (Maringá-PR) – dia 4 (domingo), Circo Funcart, 20h30.
Cegos – Desvio Coletivo (São Paulo – SP) – dia 5 (segunda-feira), em vários espaços públicos de Londrina, 11h45, gratuito.
Dança Londrina – Mostra de grupos locais – dia 5 (segunda-feira), Circo Funcart, 20h30.
* Sem Eira Nem Beira – Ballet de Londrina (Londrina-PR) e Déjà Vu – Ballezinho de Londrina - dia 6 (terça-feira), Circo Funcart, 20h30.
Vagor & Bellavita – Dromocósmica (Curitiba-PR) – dia 7 (quarta-feira), Teatro Zaqueu de Melo, 19h.
A Última Estrada – Cia Soma (São Paulo-SP) – dia 7 (quarta-feira), Circo Funcart, 20h30.
Nosso Flamenco – Núcleo Artístico Confraria dos Ventos e Cia Soniquete Arte Flamenca (Campinas-SP) – dia 8 (quinta-feira), Concha Acústica 18h30, gratuito.
InstHabilidade – Grupo de Dança 1º Ato (Belo Horizonte –MG) – dia 8 (quinta-feira), Circo Funcart, 20h30.
Posso Dançar Pra Você? – Cia Domínio Público (Campinas-SP) – dia 9 (sexta-feira), Calçadão (em frente ao Banco do Brasil), 16h, gratuito.
Carta Pra Não Mandar ou Cantiga Interrompida – Confraria da Dança (Campinas-SP) – dia 9 (sexta-feira), Sesc Caldeirão, 19h, gratuito.
* Ilhada em Mim – Sylvia Plath – Cia Lusco-Fusco (São Paulo-SP) – dia 9 (sexta-feira), Circo Funcart, 20h30.
No Giro das Saias – Pisada da Jurema (Londrina-PR) – dia 10 (sábado), Calçadão (na altura da Rua João Cândido), 11h30, gratuito.
Evocando os Mortos- Poéticas da Experiência – Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (Porto Alegre-RS) – dia 10 (sábado), Circo Funcart, 20h30.
* Encerramento do Festival: Tarde dos Clássicos com apresentação de Paquita Grand Pas Classique e trechos de Diana e Acteon, da Cia Brasileira de Ballet (Ourinhos-SP) e Pas de Deux Solos de Repertório da Escola Municipal de Dança, a Funcart (Londrina-PR) – dia 11 (domingo), no palco às margens do Lago Igapó I, com acesso pela Funcart, 17 h, gratuito.
*Ponto de Encontro do Festival de Dança: Bar Valentino, com shows de 2 a 4 e de 6 a 11 de outubro, a partir das 21 horas, em horários e com valores diferenciados (couvert diretamente no bar).

Bilheteria:
Preços dos ingressos para espetáculos:
R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

Será concedido o benefício da meia-entrada para estudantes, aposentados, professores, alunos da Escola Municipal de Dança e Teatro (Funcart), doadores de sangue e funcionários e/ou clientes com Cartão da Caixa Econômica Federal. É obrigatória a apresentação de documento oficial e original, com foto, comprovando o enquadramento em uma destas categorias no momento da compra dos ingressos e na entrada dos espetáculos.

 Pontos de vendas:

Secretaria da Funcart
Rua Senador Souza Naves, 2380
Fone: (43) 3342-2362
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8 às 20 horas, e aos sábados, das 13 às 17 horas.

Loja Kinise
Boulevard Londrina Shopping – Loja 256 / 2º Piso
Av. Theodoro Victorelli, 150
Fone: (43) 3017-4169
Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20 horas.

Loja Shop Ballet
Rua Pio XII, 64 - loja 3
Fone: (43) 3323-4717
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9 às 18 horas, e aos sábados, das 9 horas ao meio-dia.

Nos locais das apresentações
Se houver ingressos restantes, eles serão vendidos uma hora antes do espetáculo em bilheteria instalada no local da apresentação.

O Festival de Dança de Londrina tem patrocínio da Prefeitura Municipal de Londrina, por meio do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura), e da Caixa Econômica Federal. O evento é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná), com apoio institucional da Funcart. Apoio: Fecomércio Paraná/Sesc; Kinise Dancewear; Shop Ballet/Só Dança; Usina Cultural; Bar Valentino; Rádio UEL FM; Folha de Londrina; RPC-Rede Paranaense de Comunicação e Quizomba

.

.