A vida de José Hermínio Victorelli ganhou, desde o último sábado, enredo mais que inusitado. O londrinense se lançou na aventura de conhecer 197 países. Eis, aqui, à primeira vista, um projeto idêntico ao de Álvaro Garnero e de outros bem-nascidos que dão a volta ao mundo sem desmanchar o cabelo ou amarrotar a camisa? Nada disso. Com um passaporte que registra passagem por mais de 50 países, o popular Zé recentemente esteve na Namíbia. Na ocasião, gravou vídeos em que mostrava os costumes do país e não deixava de fazer seus comentários bem-humorados e pontuais, fugindo do convencional. O sucesso foi tanto que o empresário e agropecuarista decidiu: era hora de ir além, mais uma vez saindo da zona de conforto.
Qual a proposta do projeto?
A ideia é visitar mais de 190 países. Estarei 15 dias fora e outros 15 no Brasil. Quero mostrar um verdadeiro fesval de gastronomia, cultura, vida noturna, esportes e entretenimento nada convencionais.


Você criou o “Zellfie”, é isso mesmo?
Exato, tive a ideia de criar esse personagem. O trocadilho com as “selfies”, as fotos que tiramos de nós mesmos, traz o meu apelido, que é como meus amigos me conhecem, e a letra “l”, nesse caso, é uma homenagem ao meu filho, Lorenzo, e ao meu saudoso irmão, Luís. O Zellfie estará presente no Facebook e no Instagram e vai realizar esse nosso sonho e levar os brasileiros aos lugares mais incríveis e inusitados do mundo.


Esses locais serão luxuosos, simples, qual a ideia?
Quero compartilhar, com as pessoas, a sensação de visitar desde hotéis de luxo, restaurantes cinco estrelas, boates exclusivas, até hospedar-se por uma semana em acampamentos desprovidos de banheiros e dividir uma cama com um Yak (Boi do Nepal). Além disso, vou frequentar festivais culturais em desertos, pilotar carros exóticos e até mesmo um tanque de guerra, além de andar de trenó puxado por cachorros na Sibéria. Entre outros desafios, vou participar, também, da doma de cavalos selvagens na Mongólia.


Está preparado para encarar os extremos de temperaturas?
Sim. Em fevereiro de 2015, vou curtir o inverno na Sibéria. Estarei em Yakutsk, a cidade mais fria do Planeta. Por lá, as temperaturas batem os 60, 70 graus negativos. Também tenho agendada viagem ao Irã. Estarei em Ahwaz, onde a média, na maior parte do ano, é acima dos 50 graus.


Como vai se locomover, quando estiver nesses países?
Para essas aventuras, usarei todos os veículos possíveis como carros, bicicletas, motos, aviões, tanque de guerra, e até mesmo um boi.


E quais as primeiras paradas?
Nesta semana, vamos à região do Kosovo mostrar prédios bombardeados no período da Guerra. Na Albânia, falarei da máfia e da cultura em que as famílias ainda definem com quem seus filhos vão casar. Na Turquia, irei mostrar o Monte Ararat, onde dizem que foi encontrada a Arca de Noé, perto da fronteira da Armênia e Azerbaijão. Nos arredores da Inglaterra, irei fazer um treinamento com tanques de guerra. Finalizo os primeiros 15 dias visitando uma fábrica de whisky e fazendo uma caça de roedores com um falcão treinado no meu ombro. Tudo isso no norte da Escócia, às margens do Lago Ness. A região é famosa pela lenda do mostro do Lago. Vou aproveitar e explorar, por lá, algumas curiosidades sobre o tema, também (risos).


Para quem diz “mais um bem-nascido dando a volta ao mundo”, qual sua resposta?
Mostrarei tudo do bom, do melhor e do pior de cada canto do mundão de uma maneira um pouco diferente. Serei eu mesmo, o Zé, aquele de camisa aberta, barba por fazer, que não vai mudar o sotaque e que gosta de uma boa conversa.


Acompanhe as aventuras do Zellfie. Novos vídeos todas as terças às 11h.